Quanto custa um serviço de Gestão de redes sociais na Zaask 100€ - 600€

Preços com base na média nacional

A gestão de redes sociais tornou-se obrigatória para praticamente qualquer negócio. Quer se trate de uma multinacional, do restaurante do bairro ou de uma pessoa a promover a sua marca, é essencial ter uma presença online estratégica. 

Dentro do marketing digital, as redes sociais tornaram-se ferramentas excelentes de optimização dos recursos dos negócios. Para além da divulgação de produtos e serviços, a vantagem mais evidente, estas plataformas permitem direcionar tráfego para os sites e medir o retorno dos investimentos feitos em campanhas. 

Ter um perfil de Facebook ou Instagram não capacita ninguém para a gestão estratégica de redes sociais. De modo que, na maioria dos casos, as competências para envolver com sucesso clientes e possíveis interessados/as não estão disponíveis internamente. É, então, necessário contratar uma agência ou freelancer de gestão de redes sociais. 

Os custos de contratação destes especialistas variam, sobretudo, consoante o projecto, indústria do negócio e experiência da pessoa escolhida. Para este tipo de serviço, o cliente poderá contratar um freelancer menos conhecido, pagando menos por isso, ou agências e consultores já estabelecidos no mercado e que podem cobrar várias centenas de euros (ou mesmo milhares) por mês. 

Em Portugal, a média nacional do preço de gestão de redes sociais ronda os 350€ mensais. No entanto, é possível encontrar o serviço a um valor mais acessível, como 100€, e bem mais caro como algo em torno dos 600€.

Modalidades de cobrança

Normalmente, o serviço de gestão de redes sociais é cobrado por hora, por mês ou por projecto. A forma de cobrança vai depender da preferência do profissional e do tipo de tarefa que lhe for entregue. 

 

  • Por hora
  • Aplica-se tanto a projectos menores como de longo prazo;
  • Forma mais clara para se contabilizar e monitorar o tempo despendido nas tarefa;
  • Profissionais com menos experiência oferecem mais os seus serviços à hora;
  • Pode ser uma desvantagem financeira para o cliente nos casos em que é necessário contratar mais do que um profissional para fazer a gestão das redes sociais.

 

  • Por mês
  • Ideal para qualquer projecto de carácter mais longo;
  • Aplicável tanto a novos como antigos clientes;
  • O cliente deve ser actualizado, ao longo do mês, dos progressos do trabalho;
  • Tem a vantagem de possibilitar uma relação estável entre cliente e profissional.
  • Por projecto
  • Campanhas são os exemplos mais comuns de projectos únicos;
  • O cliente sabe exactamente quanto o seu investimento vai custar;
  • Qualquer trabalho fora do plano é cobrado como um serviço adicional;
  • Modalidade mais requisitada por novos clientes.

Qual destas modalidades é mais vantajosa para o lado de quem paga? É difícil determinar, pois cada profissional, cliente e projecto são únicos. Ao fazer a prospecção de mercado, cabe a cada pessoa investigar as opções disponíveis.

Número de canais de redes sociais 

O número de redes sociais geridas influencia o valor do serviço, uma vez que as ferramentas e estratégias de gestão mudam de plataforma para plataforma; e também pelo facto de os conteúdos criados não serem simplesmente copiados de um lado para o outro. Portanto, o preço será sempre directamente proporcional ao número de canais escolhidos para divulgação e venda de marcas e serviços.

Em Portugal, a maioria dos negócios com presença digital certamente tem uma conta de Facebook (afinal esta continua a ser a maior rede social no mundo e no nosso país). Mas, dependendo da indústria e do público-alvo, empresas e pessoas podem beneficiar mais com a criação e boa gestão de contas em outras plataformas. 

Segundo dados de 2019, estas são as redes sociais em Portugal com mais utilizadores e, por isso, onde pode ser mais interessante apostar:

 

  • Facebook

 

É a maior rede social do mundo e, por isso, a mais importante na estratégia de marketing nas redes sociais; é versátil, pois permite a divulgação de conteúdos em formato de texto, fotografia e vídeo; é indicada para todos os tipos de negócio, desde os menores aos mais internacionais. O preço médio para gestão de Facebook Ads é de 170€/mês, mas os valores variam entre 45€/mês e 500€/mês, consoante as responsabilidades e tarefas associadas. Contudo, o preço por um post individual pode rondar os 80€. 

 

  • Instagram

 

Tem as mesmas vantagens do Facebook em termos de posts patrocinados e anúncios; por ser uma plataforma muito visual, é realmente uma escolha forte para serviços de restauração, moda e entretenimento, pois podem originar fotografias e vídeos bastante apelativos. Se está à procura de especialistas em Instagram Marketing poderá contar pagar 125€/mês, mas os valores variam entre 45€/mês e 400€/mês. Uma publicação individual para o instagram ronda os 40€.

 

  • Linkedin

 

É usado como uma rede social de trabalho, sendo uma plataforma mais “séria”; como o Facebook, permite a divulgação de vários tipos de conteúdos e actualizações de estado (por exemplo, relacionados com a empresa); é ideal para negócios que ofereçam serviços e produtos a empresas.

 

  • Twitter

 

Embora em Portugal tenha muitos menos utilizadores do que as outras três redes, é também uma plataforma onde se pode fazer divulgação de conteúdo, mas de uma forma um pouco mais limitada (pelo espaço); pode funcionar como um reforço da marca e como uma ferramenta de comunicação rápida. 

Dependendo do negócio, um canal de YouTube pode cativar a atenção de muitas pessoas. Com a produção de conteúdos de qualidade, ou seja, interessantes, informativos e/ou que ofereçam entretenimento, o público irá seguir com mais atenção a marca, pessoa, etc. Caso pretenda fazer um vídeo promocional ou explicativo da sua empresa, saiba que o preço médio para este serviço anda à volta dos 800€, podendo, contudo, variar entre 100€ e 2500€, tendo em conta as especificidades do projecto.

Os e as profissionais de gestão de redes sociais também podem gerir outras contas que, apesar de não serem redes sociais, são plataformas digitais que permitem o envolvimento com o público. Alguns dos exemplos mais comuns no dia-a-dia dos gestores/as de redes sociais podem ser: TripAdvisor (para turismo), Zomato (para restauração) e Booking (para hotelaria).

Serviço de atendimento ao cliente

Hoje, as redes sociais também já funcionam como um veículo de atendimento ao cliente. Em vez de se usar o telefone para chamadas, agora é cada vez mais comum para o público recorrer a estas plataformas digitais para expressar opiniões, tirar dúvidas, solucionar problemas, etc. E, portanto, qualquer marca ou negócio sai a ganhar com um serviço deste género, pois é uma forma de mostrar ao cliente que está a ser ouvido, que importa. 

Quer se trate de uma conta de Facebook, Instagram, Booking, Zomato ou outra qualquer, um/a gestor/a de redes sociais pode desempenhar as funções de mediador entre o cliente e a empresa. Mesmo em casos em que a pessoa tem algo negativo a expressar, esta ficará sempre com uma melhor impressão se receber algum tipo de resposta. 

O tempo dedicado a esta comunicação com o público dependerá muito do orçamento do projecto e da disponibilidade de quem vai desempenhar a função. Em conjunto, clientes e gestores/as devem  analisar os objectivos da empresa e delinear uma estratégia de marketing que inclua este serviço, pois será sempre uma mais-valia para qualquer negócio.

Lançamento de novas contas 

O lançamento de novas contas na redes sociais requer planeamento, criação de uma imagem para o produto, branding e desenvolvimento de conteúdo de promoção. 

Por comparação a páginas já criadas, com excepção dos maus exemplos, o lançamento de novas contas é um serviço adicional. Por exemplo, se usarmos o valor médio para o serviço gestão de redes sociais, 350€, é necessário acrescentar o custo da criação da conta.

Para novos projectos, é difícil determinar quanto o cliente gastará no início, pois existem muitas variáveis em jogo. Se o projecto não for de uma marca conhecida, é preciso levar em conta que existe uma dificuldade acrescida: gerar seguidores. Este trabalho pode ser feito de forma orgânica, ou seja, unicamente através da gestão das redes e produção de conteúdos apelativos. No entanto, o método orgânico requer algum tempo a gerar um grupo considerável de seguidores. A outra opção é usar as ferramentas do social media marketing, ou seja, as publicações patrocinadas ou anúncios, o que tem custos acrescidos para o cliente.

Publicações patrocinadas e anúncios

Quer seja em formato de texto, fotografia, vídeo ou outro conteúdo, qualquer marca pode concorrer a um lugar para promover os seus produtos em redes sociais como Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. As publicidades pagas são excelente formas de gerar leads (possíveis interessados nos produtos promovidos) e alcançar objectivos.

É difícil determinar o custo da publicidade paga, pois existe uma série de variáveis que podem alterar os valores finais. Mas, de modo geral, estes são os principais elementos que influenciam os custos das publicações patrocinadas e posts: 

 

  • Relevância do post (mais relevância equivale a custos mais baixos);
  • Público-alvo ( ocalização alvo, faixa etária e género fazem os preços variar);
  • Tipo de anúncio (no Feed, nas Stories, na barra lateral, em vídeos, etc.);
  • Altura do ano (custos mais elevados na altura do Natal e fim de ano);

Este trabalho de marketing nas redes sociais tornou-se um ramo com muito potencial dentro do marketing digital. Hoje, com cada vez mais negócios a migrarem para o digital ou a existirem unicamente nesse meio, mais profissionais estão a especializar-se nestas estratégias e ferramentas de marketing. 

Um/a gestor/a de redes sociais pode ou não possuir competências para desenvolver este trabalho. É importante que a pessoa contratada para esta função saiba o que está a fazer para que não se perca o investimento do cliente. Independemente de se contratar uma pessoa especializada nestes serviços ou atribuir a função ao/à gestor/a, este será sempre um gasto adicional no orçamento. Para que tenha uma ideia, o custo médio para um projecto de de marketing digital ronda os 350€, podendo ir dos 100€ aos 400€, normalmente.

A variável influencers

Os e as influencers digitais são pessoas capazes de influenciar a opinião do seu público, isto é, dos seus seguidores através das redes sociais. As celebridades e especialistas em áreas de conhecimento ou indústrias já eram “fazedores de opinião” antes do aparecimento das redes sociais. O que estas vieram potencializar foram todas as outras pessoas que se tornaram influencers e todas as que continuarão a surgir.

O que é que isto significa para as empresas ou pessoas à procura de um serviço de gestão de redes sociais? Bem, este é um factor que, dependendo do orçamento do projecto, deve ser levado em conta na estratégia de marketing digital. É que ter um/a influencer a recomendar produtos - qualquer tipo de produto e indústria - é uma espécie de fórmula mágica para atrair novos clientes.

E quanto custa um/a influencer? Por norma, este serviço é cobrado por post, mas o valor de cada publicação dependerá do potencial de cada influencer, ou seja, do número de pessoas que poderão ser persuadidas a comprar o produto do cliente. Para quem gostaria de fazer este investimento mas não pode alocar muito orçamento para esta estratégia, os/as micro influencers são a melhor opção. Estes influencers têm um alcance desde 5 mil a 100 mil seguidores e, como os grandes influenciadores, podem focar-se em qualquer segmento da sociedade. Para que tenha uma ideia, o preço para um/a micro influencer que tenha entre 5 mil a 30 mil seguidores pode cobrar cerca de 155€ para um post de Instagram, 65€ para uma story, 285€ para um post de facebook 815€ para um vídeo de Youtube. Já alguém que tenha mais de 500 mil seguidores, pode pedir cerca de 1800€ por um post de Instagram, 650€ por uma story, 3500€ por um vídeo de Youtube ou 2400€ para um post de Facebook. 

Criação de conteúdo 

A criação de conteúdo original, interessante e apelativo é um factor que pode realmente diferenciar uma marca da outra. Nas redes sociais, quem não se expõe, acaba por ser esquecido. Por isso, a frequência das publicações também desempenha um papel importante na estabilidade da relevância de um negócio para o seu público-alvo.  

Os conteúdos podem ser textos acompanhados de fotografias, vídeos, memes, partilha de notícias com um comentário que provoque reacções, etc. As opções e combinações são muitas e dependerão do projecto, pois nem todos os temas e formatos são indicados para todos os negócios e públicos. Fica aqui uma dica: publicações inspiradas na actualidade ou com um toque de humor resultam (quase sempre) muito bem.

Desenvolver material de qualidade requer planeamento, criatividade e tempo. É uma tarefa que os gestores/as de redes sociais podem realizar caso tenham as competências necessárias e tempo. Mas, por norma, para conteúdos mais trabalhosos, como artigos para blogs e vídeos, as agências de gestão de redes sociais ou os próprios clientes vão buscar colaboradores externos para desenvolver estes trabalhos. Mesmo nestes casos de outsourcing, os/as gestores não deixam de fazer o planeamento dos conteúdos que devem ser desenvolvidos com base nas necessidades do projecto. 

E quanto é que se paga por estes conteúdos? Bem, como sempre, o valor vai depender do ou da profissional escolhido/a. No entanto, de modo geral, pode guiar-se por estas referências da Zaask:

  • Textos: o preço pode ser definido por palavra ou hora de trabalho, mas é o tipo de texto (artigos para blogs, textos publicações em redes sociais, guiões, etc.) que realmente determina o preço. Na verdade, o preço médio para um serviço de copywriting é de 17€/h mas os valores podem variar entre 8€/h e 55€/h.
  • Vídeos: os principais factores que influenciam o preço da filmagem e edição de um vídeo são a sua duração, tipo (filmagem de produtos, locais, presença de actores, etc.) e utilização de locução. Tal como foi dito anteriormente, o preço médio para a realização de um vídeo promocional de empresa ronda os 800€.

 

  • Animação gráfica: o custo dos vídeos de animação, que são mais caros, depende de elementos como número de segundos e complexidade da animação. O custo médio para um projecto de motion design, por exemplo, é de 360€. 
  • Fotografias: os custos de fotografia comercial dependem principalmente do tipo de fotografia (de produtos, modelos, ambiente, etc.) e do local da sessão fotográfica (estúdio ou exterior). Um serviço de fotografia de produto pode custar cerca de 150€

Estratégia de gestão de redes sociais 

Uma coisa é pagar por um serviço de gestão de contas, e isto inclui tarefas como actualização das páginas, criação de conteúdos simples e algum serviço de atendimento; outra coisa é ter um profissional a desenvolver uma estratégia de redes sociais. 

Muitas empresas já englobam este serviço no pacote de gestão das contas, o que, obviamente, torna o serviço mais caro. No entanto, para empresas com orçamentos mais apertados, existe a possibilidade de pagar apenas por uma auditoria às suas estratégias digitais e, também, por formação aos funcionários neste âmbito. Desta forma, o cliente pode ganhar conhecimentos, uma estratégia e administrar as suas redes sociais internamente.

Estratégia de economia de custos 

Como explicamos mais atrás, o número de redes sociais a ser geridas influencia o valor do serviço. Muitas vezes, optar por fazer o trabalho de marketing digital apenas num canal não é uma má estratégia de todo. Nestes casos, deve-se escolher o canal que melhor se adapta às necessidades e audiência do negócio, e apostar tudo nessa plataforma.

A criação de conteúdo original é sempre uma mais-valia, mas pode não haver dinheiro para este tipo de produção. Portanto, há que ser criativo e procurar soluções que impliquem menos gastos. Por exemplo, um vídeo do YouTube acompanhado de uma pergunta ou um comentário engraçado ou provocador podem desencadear uma grande onda de interactividade com a página. Pôr as pessoas a falar, com regularidade, é uma forma de divulgação sem custos.

A estratégia de economia de custos deve ser desenvolvida pelo/a gestor/a de redes em conjunto com os clientes, pois estes últimos é que realmente conhecem as necessidades e dificuldades dos seus negócios.

Experiência profissional

Fazer a gestão de redes sociais pode parecer, à primeira vista, um trabalho simples, divertido, uma espécie de passatempo. Mas, como demonstrámos ao longo deste artigo, é uma área que exige conhecimentos de marketing digital, criatividade e planeamento estratégico. 

Tendo em conta que o futuro da publicidade e do marketing está no online, há cada vez mais pessoas a entrarem no universo digital, especialmente no das redes sociais. A oferta de profissionais não vai parar crescer e os custos dos seus serviços são os mais variados. Evidentemente que a experiência e a carteira de clientes da pessoa contratada vai pesar muito no orçamento. Contudo, um currículo menor não é sinónimo de falta de competências e ideias desinteressantes. 

Procura Gestão de redes sociais para o seu próximo projecto?
Agora que tem uma ideia dos preços vamos encontar o profissional certo para si!

Como sabemos estes preços?
Todos os anos, milhares de pessoas procuram profissionais na Zaask para os seus projectos. Monitorizamos os orçamentos dos profissionais e partilhamos essa informação consigo.
25k Projectos mensais
+400k Orçamentos dados
15k Profissionais que orçamentaram