Guia para construir ou remodelar uma casa

Vou construir ou remodelar a minha casa, por onde começo?

Um dos principais projectos para muitas pessoas é a construção da sua casa, desde a colocação do primeiro tijolo, remodelando um edifício existente ou fazendo pequenas mudanças numa vivenda alugada. Ao fim ao cabo, o que faz com que um espaço físico se transforme na nossa casa, depende daquilo que nos faz sentir bem, nos transmite segurança e conforto. Assim sendo, como não dedicar a este projecto toda a nossa atenção?


A construção ou remodelação de uma habitação trata-se de um projecto complexo a nível técnico e profissional, pelo que necessita de planificação, de um estudo, investimento de tempo e de dinheiro, de conhecimentos e de ajuda profissional. Para conseguir que a sua casa se pareça com essa imagem que tantas vezes imaginou na sua cabeça, é necessário projectar planos, avaliar as possibilidades técnicas, eleger certos materiais, contratar diferentes perfis profissionais e, finalmente, dar forma ao projecto. Neste processo, é possível que surjam imprevistos e que sejam necessários ajustes de ideias, expectativas, orçamentos e requerimentos, mas, no fundo, o importante é que o resultado seja essa casa que tanto sonhou habitar.


Ninguém se mete neste tipos de projectos apenas por curiosidade ou aborrecimento, muito pelo contrário:a construção ou remodelação de qualquer tipo de habitações é o resultado de uma decisão pensada e repensada, considerando muitas variáveis. E, neste caso, para a pergunta “por onde começo?”, a resposta será a mais básica e transversal do mundo: por fazer uma lista! Ou várias. Nessa lista terá de incluir todas as necessidades, requisitos e desejos que quer ver concretizados na sua casa, ou em parte dela. Comece com os pés na Terra e nas coisas realmente importantes, ou seja, as que garantem o bem-estar: tipos de espaço, características relativas a luminosidade, dimensão, isolamento térmico ou segurança. Progressivamente, pode deixar-se levar e aumentar essa lista com aquilo que seria o seu mundo ideal: o importante é que as prioridades estejam bem definidas!


Uma vez feita a lista, é sempre recomendável buscar referências que podem, inclusivamente, ajudar a definir os seus objectivos e comunicá-los às pessoas que se encarregam de os materializar, bem como contactar profissionais do sector da construção para começar a comparar propostas. Precisamente por este motivo, é essencial ter claro desde o primeiro momento quais são os objetivos, preferências e prioridades, para que, quando comprar os orçamentos e propostas de profissionais, o faça seguindo os mesmos parâmetros.


Na Zaask gostamos dos desafios mas também de facilitar processos, por isso estamos aqui para dar acompanhamento em cada uma das etapas que necessite de realizar. Neste guia poderá consulta a nossa lista de passos para construir ou remodelar uma habitação, tendo em conta as diferentes áreas profissionais que poderão estar envolvidas. Irá encontrar também algumas ideias inspiradoras, preços orientativos e uma forma fácil de encontrar profissionais disponíveis na sua zona para os diferentes serviços.

menu
Ver todos os capítulos
keyboard_arrow_up
CAPÍTULO 23

O projecto

A construção de uma nova vivenda ou da remodelação de uma existente deve começar no papel. Depois de definir as nossas prioridades, pretensões ou possibilidades económicas, é o momento de dar os primeiros passos para a edificação da nova casa. E quando dizemos que começa no papel, referimo-nos a que, por um lado, deve ser estudado, projectado, avaliado e reajustado através dos planos e que, por outro, terá de ser aprovado através de licenças, alvarás e autorizações camarárias e legais.

CAPÍTULO 24

A tipologia

Na hora de embarcar num projecto de construção ou remodelação, uma das variáveis que afecta directamente o processo a seguir é a tipologia de trabalho que se vai desempenhar. Desde o tipo de licenças ou documentos requeridos, o tipo de material que pretende ou os perfis profissionais que devem estar implicados no trabalho variam notavelmente, conforme se trate da construção de uma nova vivenda ou da remodelação de uma das divisões já existentes.

Nova construção

O empreendimento de uma nova construção é excitante porque supõe começar com uma tela em branco em que as possibilidades são infinitas. Ainda que sempre se parta de algumas condicionantes, como o tamanho do terreno, a sua localização, as condições climatéricas na zona e o orçamento disponível, as opções continuam a ser imensas, especialmente se conta com o apoio de profissionais com boas ideias e amplos conhecimentos sobre os clássicos mas também as novidades do sector. Algumas considerações pelas quais começar são:

Comece por ordenar as ideias

Os dois aspectos chave que se devem definir para começar uma nova construção são os recursos e as necessidades. Por recursos queremos dizer o orçamento de que dispõe ou que querem destinar o projecto - e nos quais há de se ser realista e ajustar-se ao contexto. Também terá de pensar sobre a forma em que se vai garantir os ditos recursos: empréstimos, hipotecas bancárias, poupanças, etc.

Por necessidades devem entender-se tanto aqueles requisitos concretos, relacionados com a divisão do espaço, as superfícies, as condições da habitação, bem como os requisitos subjectivos, por assim dizer, aqueles que respondem aos gostos e preferências da pessoa promotora da obra. Estas são recolhidas no chamado “programa de necessidades”, um marco de actuação que delimitará as ideias do arquitecto ou arquitecta para que a sua proposta responda às expectativas e objectivos desejados.

Algumas perguntas que podem ajudar neste sentido são: que tipo de espaço necessito? Que tipo de espaço gosto? Como deve ser a conexão entre interior e exterior? Que estilo de casa prefiro? Quais são os aspectos mais importantes?

Não são limitações se as converter em vantagens

Em alguns casos, o ponto de partida pode ser contrário ao tipo de construção que se preferiria ou se pretendia edificar. Por isso, é importante contemplar todo o tipo de soluções e propostas antes de se agarrar a uma única opção. Por exemplo, imagine que quer ter uma zona recreativa luminosa e natural mas não tem espaço suficiente para ter um jardim. Talvez a solução seja criar um pátio interior que organize espacialmente as várias divisões da vivenda.

Atenção à documentação necessária

As novas construções requerem o cumprimento de uma série de documentos antes, durante e depois de realizar a obra. Antes de começar a construção deve tratar do plano de informação prévia à Câmara Municipal. Só depois de receber a confirmação de autorização para a construção e os respectivos condicionamentos legais ou regulamentares, nomeadamente relativos a infra estruturas, servidões administrativas, restrições à construção, entre outros é que se pode avançar com a construção. A seguir terá de obter, através de profissionais competentes, tanto o levantamento topográfico como o projecto de arquitectura, que também têm de ser aprovados pela Câmara Municipal da zona. O passo seguinte é tratar dos projectos de especialidade, ou seja, os projetos de esgotos, água, gás, comunicações, electricidade, entre outros.

Só depois de haver a aprovação destes projectos é que a Câmara atribui a licença de construção. É neste momento que pode contratar os serviços de um empreiteiro ou empreiteira geral, com alvará válido e seguro. Tem de contratar também um engenheiro ou uma engenheira civil responsável pela obra, que pode ser o coordenador de segurança em obra (obrigatório) e pelo Livro de Obra - local onde são registados todos os factos e informações sobre a execução da obra.

Preço médio para nova construção €/m2

40€ - 1500
40
1500


O custo médio para se construir uma casa ronda os 550€/m². Uma série de outras variáveis, que especificamos mais abaixo, podem fazer os valores oscilar entre os 40€/m² e 1500€/m²

1. Construtora

Quando se trata de novas construções, o mais acertado e seguro é contar com uma empresa de construção que se encarregue de todo o processo. A partir do projecto de execução elaborado pelo arquitecto ou pela arquitecta poderão encarregar-se de coordenar e executar todos os trabalhos necessários, desde a alvenaria, a electricidade e o isolamento, a canalização e pintura. Isto permitirá poupar em gastos de dinheiro e tempo, especialmente se surgirem imprevistos.

2. Orçamento

Os gastos associados à obra vão estar limitados pelo orçamento disponível, sempre e quando este seja realista. Ou seja, o trabalho desenvolvido pela construtora vai adaptar-se às necessidades e possibilidades de quem contrata, aconselhando sobre a melhor forma de investir em recursos económicos disponíveis. Será necessário contar com uma percentagem do orçamento para prever e resolver possíveis contratempos.

3. Dimensão

A dimensão da construção é um factor crucial e serve, em muitos casos, para definir o orçamento. Pode ser medida em metros lineares, metros quadrados ou metros cúbicos, conforme o tipo de trabalho. Muitas vezes define o valor mínimo com que se fará a obra. Por exemplo, por muito que se tente poupar em materiais, não é possível construir uma vivenda de 80m2 peço preço de uma de 50m2.

4. Materiais

Nos dias de hoje existem opções de várias gamas para praticamente todo o tipo de materiais. Sempre e quando contar com o orçamento suficiente, aconselha-se a balançar o uso de materiais de baixo e de muito alto custo, especialmente em zonas e mecanismos de maior uso e desgaste.

5. Mão-de-obra

Os perfis profissionais que terão de fazer parte do trabalho de construção e o tempo que se requer de cada um deles para realizar este trabalho dependem em grande parte do resultado pretendido. Quanto maior a diversidade, quantidade ou especialização, maiores serão os custos associados à mão-de-obra.

6. Localização

A localização da nova construção influencia em vários sentidos. Por um lado, o preço da construção de vivendas em capitais com níveis de renda mais altos é superior ao da edificação em aldeias mais pequenas, periféricas ou rurais. Para além disso, a localização também influencia a nível logístico e poderá super custos pelo transporte de materiais ou pela necessidade de maquinaria específica para os mover.

7. Permissões

Para as novas construções requere-se documentação. Por norma, esta tem gastos associados a nível administrativos.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Licenças de construção (Câmara Municipal)
500 € - 5500 €
Projecto de arquitectura
2000 € - 25000 €
Projectos de especialidades (água, esgoto, etc.)
150€ - 400€ (cada)
Levantamento topográfico
200€ - 650€
Estudio geotécnico
200 € - 1500 €
Projecto de estrutura/ estabilidade
600€ - 1300€
Fundações de casas em betão
120 €/m2 - 250 €/m2
Terraplanagem
6 €/m2 - 30 €/m2

Há tantos estilos de vivendas como pessoas neste mundo. Se está entre aqueles sortudos que podem construir uma nova casa desde cedo, comece a procurar inspiração noutras construções para dar forma à casa dos seus sonhos. Os e as profissionais encarregar-se-ão de que esta passe a ser a sua casa da vida real!

Para encontrar profissionais disponíveis na sua zona, com interesse no seu projecto e boas avaliações, peça orçamentos na Zaask preenchendo um breve formulário:
Fazer pedido

Remodelação | Integral

Por remodelação integral entende-se a completa renovação de uma habitação existente, isto é, existe uma base sobre a qual trabalhar que irá sofrer alterações em todos os sentidos. Desde modificar a distribuição da planta, o revestimento de pavimentos e paredes, a abertura de portas e janelas, o tipo de mobiliário, quase tudo será possível numa remodelação integral. Por isso, e para que não se perca no processo, é essencial ter em conta uma série de aspectos, bastante semelhantes às definidas para a edificação de novas construções:

Defina os pontos essenciais

Qualquer obra deve começar pela definição das necessidades que se pretende cobrir com a realização da mesma. Estas, ao lado aos requerimentos subjectivos, vão dirigir todas as decisões que se tenham de tomar, servindo,para além disso, de referência para estabelecer prioridades. Entende-se por necessidades todos aqueles requerimentos que garantirão o bem estar básico das pessoas que vão morar na habitação em questão: número de assoalhadas, tipo de divisões, dimensão dos espaços, acessibilidade aos mesmos, condições ambientais (luminosidade, temperatura, insonorização…). Por outro lado, os requerimentos subjectivos englobariam todas aquelas preferências pessoais em relação ao estilo, às comodidades a incluir ou os aspectos mais acessórios e supérfluas.

Estabeleça um orçamento

Querer o impossível pode sair duas vezes mais caro e ter péssimos resultados. Por isso, outro aspecto primordial para a tomada de decisões de uma remodelação integral passa por estabelecer um orçamento que lhe permita ser realista e distribuir adequadamente os recursos. Nos dias de hoje existem boas soluções em todos os intervalos de preços, adaptadas a todos os gostos. Desta forma, a partir do momento em que se tem de forma clara o resultado pretendido e o orçamento disponível, será uma questão de encontrar os e as profissionais que poderão materializar o projecto.

Tenha em atenção a documentação requerida

Para as remodelações integrais que afectem apenas o interior do edifício não necessitará de qualquer tipo de licença, apesar de ser essencial, na mesma, ter o projecto arquitectónico, para que não surjam problemas. Contudo, se as remodelações alterarem a linha arquitectónica original, a estética ou a segurança do edifício terão de ser solicitadas licenças. Toda e qualquer modificação da fachada ou parte exterior de um edifício requerirá uma licença por parte da Câmara Municipal.

Preço médio para remodelação integral

1000€ - 650000
1000
650000


O preço médio de uma remodelação integral ronda os 25000€, podendo ir dos 1000€ e chegar até aos 650 000€, de acordo com cada caso. Alguns parâmetros a considerar no cálculo do preço são:

1. Custo por m2

A maioria dos preços do sector da construção definem-se em função dos metros quadrados da habitação. Também há casos em que os orçamentos podem ser dados em metros lineares ou metros cúbicos.

2. Demolições

Nas remodelações integrais, são habituais os trabalhos de demolição, quer seja de tabiques interiores, pilares decorativos e/ou aberturas exteriores e interiores.

3. Alvenaria

Estes trabalhos representam grande parte da percentagem do orçamento total, já que envolvem a construção de separações, tectos falsos ou o isolamento. Os pedreiros e as pedreiras também serão responsáveis por aplicar gessos, azulejos e outros tipos de acabamentos nas superfícies, uma vez concluídos os trabalhos de canalização ou electricidade.

4. Carpintaria

Os e as profissionais de carpintaria trabalham com diferentes materiais, como metais, PVC ou madeiras, o que resultará numa oscilação do valor do orçamento final. Complementam os trabalhos de alvenaria ao fornecerem os materiais à medida para portas, janelas, balcões e outros móveis à medida.

5. Canalização

As remodelações integrais permitem rever o estado das tubagens e avaliar tanto a possibilidade de as substituir como de mudá-las de lugar se se quer mudar a disposição de divisões como o banho ou a cozinha. No caso de se tratar de um sistema incorporado, terá de ser coordenado com a alvenaria para evitar a reabertura de paredes ou pavimentos.

6. Electricidade

De maneira geral, as obras integrais implicam mudanças na distribuição da habitação, pelo que é imprescindível redesenhar ou pelo menos reajustar o sistema eléctrico. O ajuste da localização das tomadas, a incorporação de novos interruptores ou a melhoria da eficiência eléctrica são os trabalhos mais recorrentes nestes casos.

7. Pintura

Em último lugar, o preço da pintura dependerá do tipo de superfície em que terão que intervir, ou seja, se se trata de paredes, tectos ou mobiliário; interior ou exterior; liso, rugoso, entre outros. Estes aspectos influenciam directamente no tipo de material requerido e nas horas necessárias de trabalho.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Projecto de arquitectura
300 € - 10 000 €
Alvenaria
50 €/dia -100 €/dia
Carpintaria
70 € - 6000 €
Canalização
10 €/h -70 €/h
Renovação eléctrica interior
10 €/h - 40€/h
Pintura interior
4€/m2 - 13€/m2
Design de interiores
250€ - 1000€
Certificação energética
50€ - 1250€
Limpeza pós-obra
120€ - 320€

Realizar uma remodelação integral compara-se a pintar uma tela em branco para se recomeçar. Comece por pensar no que quer manter da estrutura actual, o que quer mudar e o que precisa de remodelar. A partir daí, o próximo passo é procurar inspiração para começar a dar forma à sua futura (e remodelada) vivenda.

Para conhecer profissionais de remodelações que prestam serviços de remodelação integral e que estão disponíveis na sua zona, realize um pedido em questão de minutos e receba várias propostas de forma gratuita:
Fazer pedido

Remodelação | Casa de banho

A remodelação de casa de banho pode ser uma das mudanças mais significativas dentro da casa. Esta divisão não só tem de ser prática como segura e acessível para todas as pessoas que lá habitam. Alguns aspectos a ter em conta na hora de a renovar são:

Não economizar demasiado

Se está a pensar em realizar alguns cortes no orçamento destinado à remodelação ou a avaliar como deve distribuir os fundos que dispõe, não opte por aplicar a lógica low cost na casa de banho. É uma das divisões que mais está exposta à erosão por causa do contacto com o vapor e o uso constante da água, que potencia o aparecimento de humidade, de rachas e de problemas com tubagens. Não se conforme com uma renovação apenas visível e aproveite a remodelação para garantir que a canalização está num óptimo estado e que os materiais aplicados são resistentes e adequados para este espaço.

Tirar o melhor partido

De maneira geral, as casas de banho não estão entre os espaços mais amplos da casa, já que se consideram um lugar utilitário e “de passagem”. No entanto, isto não implica que, por um lado, não se se possa investir nesta divisão aplicando boas ideias de desenho ou organização ou que, por outro, não faça sentido ampliá-la para ganhar em comodidade e praticidade. Trocar a banheira por um duche, embutir o lavatório num móvel ou usar uma porta de correr em vez de uma “comum” para o duche pode fazer toda a diferença.

Não renunciar o estilo

Pelos motivos já mencionados, também é habitual descuidar o aspecto estético da casa de banho, mesmo havendo cada vez mais pessoas que querem também personalizar e revalorizar esta divisão da casa. Desde a combinação de materiais e cores, a aplicação de pequenos detalhes nos acabamentos e nas loiças, podem dar vida a um espaço tão funcional quanto agradável para qualquer pessoa que necessite de o usar.

Preço médio para remodelação de casa de banho

1500€ - 7000
1500
7000


Dependendo do tipo de intervenção que quer realizar na sua casa de banho, os materiais escolhidos ou o estado actual do espaço em questão, o orçamento para a remodelação pode oscilar entre 1500€ e 7000€ , sendo o preço médio de 3500€. Alguns dos aspectos a considerar para o seu cálculo são:

1. Desenho de projecto

O preço desta parte do processo vai depender, especialmente, se está incluído ou não num projecto de obra integral. De forma geral, o valor é mais elevado quando se solicita este serviço como projecto isolado do que num projecto de remodelação total de uma casa. Também depende da especialização do ou da profissional, já que os estúdios de design com maior reconhecimento ou experiência podem praticar preços mais altos.

2. Tipo de intervenção

Em termos de orçamento, os valores serão maiores quanto mais complexa seja a intervenção. Aqueles projectos que implicam demolições, mudanças estruturais, azulejo ou nova canalização serão mais caros do que a simples mudança de pavimentos, paredes, iluminação ou elementos de mobiliário sem necessidade de obras.

3. Canalização e ventilação

Entre os aspectos mais técnicos que condicionam a intervenção encontra-se o sistema de canalização e ventilação, respectivamente. No primeiro caso, é necessário garantir a renovação das tubagens, caso não cumpram as normativas vigentes, que proíbem o uso de tubos de chumbo por questões de saúde, assim como confirmar que estão em bom estado e não apresentam riscos de fuga, rotura ou bloqueios. Em relação à ventilação, esta é especialmente importante em casas de banho sem janelas ou com aberturas de pequena dimensão, já que a concentração de vapor pode acelerar o processo de desgaste dos materiais e favorecer o aparecimento de humidades.

4. Gama dos materiais

Os preços do sector vacilam em grande medida de acordo com a gama de materiais usados. De forma general, uma remodelação de gama básica pode rondar entre os 1000€ e 2000€, a gama média parte dos 2000€ e a gama alto, por sua vez, dos 2500€.

5. Mobiliário e elementos sanitários

Outro aspecto diferencial em termos de preços é o tipo e número de mobiliário e elementos sanitários requeridos. Os modelos embutidos são os mais caros pela maior complexidade em termos de desenho e instalação ainda que, ao mesmo tempo, possam ser mais práticos e ocupam menos espaço, dando um aspecto actual e minimalista.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços:
Canalização
100 € - 400 €
Revestimento de paredes
30 €/m2 e 100 €/m2
Pavimentos
15 €/m2 - 65 €/m2
Sistema de extracção
40 € - 100 €
Sanita
80 € - 550 €
Chuveiro e duche
400 € - 1500 €
Banheira
150 € - 2200 €
Bidé
80 € - 250 €
Lavatório
100 € - 300 €
Torneira
70 € - 150 €
Trocar banheira por duche
750 € - 2000 €
Trocar porta do duche
150 € -1700 €
Aplicar esmalte na banheira
95 € - 350 €
Adaptar a mobilidade reduzida
450€ - 8000€
Remoção de lixo
100 € - 350 €

Não está completamente convencido/a sobre a ideia de ter uma casa de banho de revista? Então o que lhe falta é inspiração. Há casas de banho inspiradas no minimalismo, no rústico ou no moderno, mas também de estilo boémio, clássico ou sofisticado. Se aproveitar a remodelação para criar uma boa base estética, pode aproveitar para integrar elementos acessórios como toalhas, velas ou quadros. E, para além disso, poderá trocá-los com facilidade para que não se canse de ver sempre o mesmo.

Se quer receber até 5 propostas de profissionais para remodelar a sua casa de banho, pode fazer um pedido gratuito em poucos minutos e comparar entre as várias propostas.
Fazer pedido

Remodelações | Cozinha

Sabia que a venda de uma habitação com a cozinha remodelada pode fazer com que recupere 80% do valor da sua remodelação? Tal acontece porque é um dos espaços mais importantes da casa, dada a sua funcionalidade. Independentemente do tamanho, passamos muito do nosso tempo aí, a cozinhar, a comer ou a conviver, pelo que na hora de a remodelar se devem considerar vários aspectos:

A funcionalidade

A cozinha é, antes de tudo, um espaço prático e funcional, destinado à preparação dos alimentos. Nem toda a gente aprecia da mesma maneira esta actividade ou pode dedicar tempo à cozinha, pelo que na hora de planear a remodelação da sua cozinha, pense em quais são os eletrodomésticos e móveis que realmente vai precisar, ou seja, aos quais dará uso. Se, por exemplo, se trata de um apartamento para uma pessoa, pode não ser preciso um lava-loiças, um frigorífico grande ou um forno com muita capacidade. Considerar e adequar-se a estes aspectos poderá supor até uma maior eficiência e poupança em termos energéticos.

O espaço

O espaço ou a distribuição a que destina a cozinha deve ajustar-se à finalidade que lhe quiser dar. Pense se vê esta divisão simplesmente como um lugar para cozinhar ou se também quer que seja a divisão em que se come, se convive ou se trabalha. Se a remodelação inclui a possibilidade de alterar a dimensão deste espaço, pode considerar juntar com a sala de estar para criar um espaço limpo e amplo, ou separado por uma ilha de cozinha ou um móvel para que seja duplamente funcional. As possibilidades são imensas, basta estabelecer o que quer.

A personalidade

Às vezes a cozinha acaba por ser um lugar em que se investe muito tempo a preparar refeições, a limpar ou organizar. Por isso, é muito importante que também seja um lugar de inspiração, que transmita boas sensações e em que lhe apeteça estar. Para o conseguir, escolha o estilo de desenho e decoração que mais goste, defina o tipo de mobiliário que será de maior utilidade e crie espaços cómodos, tanto para preparar os alimentos como para relaxar.

Preço médio para remodelações de cozinha

1500€ - 10000
1500
10000


O orçamento médio para a remodelação de uma cozinha é de aproximadamente 3500€ e oscila habitualmente num intervalo de 1500 e 10000€. Alguns factores que influenciam o orçamento são:

1. Tipo de intervenção

A principal diferença no intervalo de preços tem a ver com o tipo de intervenção que se pretende fazer. Uma remodelação integral, que inclua trabalhos como a substituição de pavimentos e paredes, alguma alteração estrutural, a mudança de mobiliário ou da instalação de canalização será mais dispendiosa do que uma remodelação parcial que só implique alguns ajustes.

2. Desenho de projecto

Como ocorre noutros espaços como a casa de banho, a intervenção isolada nesta divisão pode ter custos mais altos em termos de desenho de projecto do que se fosse desenhado como parte de uma remodelação integral. Pode também supor a necessidade de intervir noutros espaços da casa que estejam junto ao wc como a sala de estar ou um terraço, caso se queira ampliar.

3. Dimensão

De maneira geral, grande parte dos orçamentos para a remodelação de cozinha determinam-se e com base nos metros quadrados da sala e a dimensão é proporcional ao custo total de trabalho.

4. Electricidade e canalização

Nem sempre é necessário intervir-se na canalização e electricidade numa remodelação integral, no entanto, quando se prevêem mudanças estruturais pode ser necessário realizarem-se ajustes nestes parâmetros. Para além disso, uma boa ocasião para garantir que ambos os sistemas apresentam num bom estado e que se ajustam às necessidades.

5. Mobiliário

A dimensão, a qualidade, o desenho e a funcionalidade do mobiliário também influencia consideravelmente, Os móveis de cozinha devem ser resistentes à humidade e fáceis de limpar devido à acumulação de gordura, pelo que convém intervir naqueles que apresentam maior resistência.

6. Electrodomésticos

No caso em que é necessário adquirir novos electrodomésticos ou substituir os já existentes, o valor total da remodelação irá ser claramente afectado, já que a maioria dos preços partem dos 200€, por cada um.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços:
Remodelação total
1500 e 10000€
Pavimentar
8 €/m2 - 70 €/m2
Colocar azulejos
20 €/m2 - 55 €/m2
Pintura
180 € - 550 €
Móveis de cozinha
430 € - 8000 €
Colocar bancada
35 €/m - 75 €/m
Lavatório
200 € - 900 €
Ilha de cozinha
450 € - 6000 €
Exaustor
20 € - 195 €
Frigorífico
300 € - 2500 €
Forno
200 € - 2000 €
Microondas
40 € - 750 €
Máquina de lavar a loiça
280 € - 1300 €
Placa
100 € - 3000 €
Máquina de lavar a roupa
200 € - 2000 €

O sector das cozinhas evoluiu muito em termos de desenho, estética e materiais, apresentando imensas variedades em acabamentos, estilos e soluções. No passado ficaram os azulejos e os móveis grandes e pouco práticos para dar lugar a espaços modernos em que lhe vai apetecer passar o tempo, seja cozinhando ou convidado. Se ainda não tem a certeza do estilo que quer dar à sua cozinha, deixamos-lhe algumas ideias.

Vamos meter mãos à obra! Comece por encontrar profissionais disponíveis na sua zona e receba várias propostas sem custos associados. Só tem de responder a algumas perguntas para realizar o seu pedido.
Fazer pedido

Remodelação | Quarto

Um quarto pode ser muito mais do que um local para dormir. Na verdade, pode ser praticamente o espaço que quiser e que se pode adaptar aos mais diversos estilos de vida e ocasiões. Então, por onde começar quando se quer remodelar um quarto? Tenha em consideração o seguinte:

Para quê?

Os requerimentos da remodelação de qualquer quarto têm de ser definidos com base no uso e finalidade que terá o espaço. Explore as suas necessidades e decida se será para dormir, para estudar, para trabalhar, para jogar, para tocar um instrumento ou para fazer exercício. Cada uma destas opções irá influenciar em aspectos como o nível de isolamento, de distribuição de espaço e o tipo de iluminação, ventilação ou protecção.

Para quem?

Outro factor essencial para delinear o trabalho a realizar prende-se com as pessoas que irão usar aquele quarto. Um quarto de casal não irá ser igual a um quarto destinado a um bebé ou a um local onde estudam crianças ou jovens universitários. O nível de segurança do quarto, a dimensão e o tipo de mobiliário, o estilo do ambiente e os materiais aplicados poderão ser adaptados a cada perfil para garantir a usabilidade do espaço.

Quanto tempo?

Em certas ocasiões, é preciso adaptar as divisões a certos fins durante curtos períodos de tempo ou mudá-las para que possam durar um longo período. A chegada de um ou de uma bebé, por exemplo, pressupõe preparar o quarto para necessidades muito específicas que irão mudar à medida que a criança cresça. Por isso, recomenda-se identificar aqueles aspectos básicos e estruturais que sempre se vão manter e cujo investimento se pode rentabilizar, assim como valorizar os recursos que se querem destinar aos factores mais superficiais ou fúteis.

Preço médio para remodelação de quarto

1000€ - 4000
1000
4000


O preço para remodelar um quarto pode oscilar entre 1000€ e 4000€, aproximadamente, sendo o valor médio nacional de 2500€ por este serviço. Alguns dos parâmetros que devem ser considerados no seu cálculo são:

1. Mudança estrutural

Um dos principais aspectos que pode marcar a diferença de preço é necessidade de intervir a nível estrutural, o que implica trabalhos de alvenaria e, eventualmente, de electricidade. Se fosse necessário tirar tabiques ou pilares, levantar paredes, mudar o revestimento do solo, aplicar isolamento ou abrir janelas para o exterior, o projecto terá um valor mais elevado do que se tratasse de arranjar o estado das superfícies ou mudar o aspecto do mobiliário.

2. Paredes

As paredes podem ser intervencionadas de várias formas, sendo crucial preparar previamente as superfícies, arranjando possíveis buracos, lascas ou humidades. Também se pode optar por alisar as paredes no caso de serem de gotelé, para posteriormente aplicar pintura, papel de parede e/ou outros materiais.

3. Pavimentos

Conforme o estilo ou efeito pretendido, as opção mais comuns de pavimentos para quartos são os flutuantes, actualmente a escolha mais conveniente em termos de qualidade-preço, com uma grande variedade de acabamentos disponíveis. O soalho de vinil também está na liderança, por ser fácil de instalar e manter, com um acabamento uniforme e uma ampla gama, a nível estético. A madeira é a clássica opção mas que necessita de um maior cuidado, apesar de ser excelente no isolamento e de poder manter o seu aspecto com envernizamento.

4. Mobiliário

O preço do mobiliário depende da sua dimensão e qualidade, assim como se são feitos à medida ou se são comprados de forma independente. Neste sentido, recomenda-se valorizar as necessidades para contar unicamente com aqueles móveis que são realmente necessários, deixando, assim, maior espaço livre para dar amplitude à divisão.

5. Adaptações

Conforme a função que se vá dar ao quarto, poderá ser necessário incluir outros serviços como o isolamento acústico, a decoração de interiores ou o desenho da iluminação.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Remodelar o quarto
1000 € - 4000 €
Parede de pladur
10 €/m2 - 45 €/m2
Alisar a parede
5 €/m2 - 12 €/m2
Tecto falso
30€ - 2400€
Pavimento
14 €/m2 - 75 €/m2
Pintura
4€/m2 - 13€/m2
Colocar papel de parede
25€ - 200€
Isolamento acústico
5€ /m2 - 25€ /m2
Isolamento térmico
570€ - 15000€
Decoração
100€ - 500€
Electricista
5€ /h - 40€ /h
Cama
70 € - 1400 €
Cómoda
35 € - 1400 €
Armário embutido
500 € - 5000 €
Móveis à medida
250 € - 3500 €

Se já sabe com que finalidade vai remodelar o quarto, agora pode pensar em que resultado pretende a nível funcional ou estético. Personalizar cada espaço é essencial e não há nada como olhar para todo o tipo de propostas, tendências e opções para dar o seu próprio toque.

Para encontrar profissionais que se dediquem à remodelação de quartos, disponíveis na sua zona e que ajustem às suas necessidades, pode realizar um pedido de orçamento personalizado preenchendo um breve questionário:
Fazer pedido
CAPÍTULO 29

O trabalho

Os orçamentos, tanto para trabalhos isolados como para projectos integrais, atendem às especificidades de cada sector profissional. Considerando que a construção ou a remodelação de qualquer tipo de vivenda está destinada à que a dita estrutura física albergue e proporcione conforto a pessoas, é necessário garantir que se cumprem as diferentes medidas legais e normas de segurança para evitar qualquer tipo de acidente, assegurar o correcto desenvolvimento de trabalhos e preservar a segurança dos trabalhadores e das trabalhadoras ou das pessoas que posteriormente habitarão a vivenda.

Para este fim, será necessário atender aos procedimentos, materiais utilizados, ferramentas adequadas, competências profissionais ou normas de segurança, entre outros aspectos, que vão impactar o preço dos diferentes serviços.

Canalização

Os e as profissionais de canalização encarregar-se-ão de tudo o que é relacionado com o abastecimento de água potável e da evacuação de água residual da casa, ou seja, de sistemas que regulam, canalizam e distribuem a água em qualquer edifício. Dependendo se se trata de uma nova construção ou de uma remodelação, a intervenção será de maior ou de menor envergadura. Alguns aspectos a considerar:

Tarefas

Entre os trabalhos que ficam a cargo de canalizadores encontramos: o desenho, instalação e manutenção do sistema de canalização, que compreende as tubagens, as entradas e saídas de água ou as conexões com os sistemas de rega. Também se encarregam da instalação de aquecimento de água ou gás, ainda que nestes casos possa ser necessário contar com profissionais que tenham essa formação específica.

Tipo de instalação

A instalação da rede de canalização pode realizar-se de forma oculta, ou seja, dentro de paredes, tectos e debaixo do chão, ou de maneira externa, mantendo-se visíveis ou dissimuladas com ornamentos, nalguns casos. A eleição de um modelo ou outro faz-se considerando-se a acessibilidade das mesmas, já que no primeiro caso implica uma maior dificuldade na hora de detectar possíveis fugas e realizar a reparação, podendo comportar intervenções a nível de alvenaria. Contudo, no segundo caso é mais simples de avaliar o estado e realizar as eventuais reparações, sendo o componente estético o seu principal inconveniente.

Normas

O Decreto-Lei nº306/2007, de 27 de agosto, respeitante à qualidade da água para consumo humano, estabelece o valor máximo para o chumbo de 25 µg/l até 25 de dezembro de 2013 e de 10 µg/l depois desta data, tendo este valor sido definido com vista a assegurar a proteção da saúde pública. Ao fazer obras ou novas construções o mais indicado é optar pelo polibutileno.

Preço médio para canalização €/h

10€ - 70
10
70


O preço médio de contratar um serviço canalização é de 20 €/h, podendo variar entre 10 €/h e 70 €/h, dependendo dos requerimentos. Alguns parâmetros que afectam o cálculo do seu valor, são:

1. Método de orçamentação

O orçamento da intervenção pode fazer-se com base nos metros lineares ou quadrados da vivenda, ou considerando o número de elementos terminais que se prevê instalar, ou seja, número de casas de banho, banheiras, sanitas, lavatórios, etc.

2. Tipo de instalação

Uma nova instalação implicará o desenho de todo o sistema com base no projecto de execução e nas necessidades definidas a nível de saneamento, assim como a coordenação dos trabalhos de canalização com outros perfis profissionais, como pedreiros/as, ladrilhadores/a ou soldadores/as. Se só se tratar de substituir um sistema já existente, será necessário detectar que partes do mesmo precisam de ser renovadas ou ajustadas.

3. Elementos terminais

Em canalização, consideram-se elementos terminais aquelas partes da instalação que permitem o acesso das pessoas à água e que em muitos casos também se encarregam do seu escoamento. Entre eles encontram-se as sanitas, banheiras ou duches, lavatórios e bidés ou torneiras. O preço desses elementos é bastante variado conforme se optar por gamas de baixo, médio ou alto custo.

4. Sistemas de aquecimento

Os sistemas de aquecimento de água podem ter como sistemas emissões radiadores, pavimento radiante e aerotermia. O preço da instalação depende se é necessário instalar todas as partes do sistema ou só algumas partes do mesmo, como caldeiras, tubagens ou elementos terminais.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Instalação de nova canalização
250 € - 5000 €
Mudar a canalização
200 € - 3900 €
Instalar lavatório
200 € - 950 €
Instalar sanita
80 € - 250 €
Esquentador
450 € - 3100 €
Trocar uma torneira
70 € - 250 €
Instalação de chuveiro
100 € - 1500 €
Reparar chuveiro
15 € - 35 € /h
Reparar sanita
40 € - 100 €
Desentupir canos
35 € - 350 €
Canalizador urgente
25 € - 55 € /h
Se está à procura de canalizadores disponíveis na sua zona, pode fazer um pedido de forma gratuita para receber várias propostas de orçamento ajustadas ao seu projecto.
Fazer pedido

Electricidade

A energia, da mesma forma que a água, está tão integrada no funcionamento do nosso dia-a-dia, que é inquestionável a importância deste tipo de abastecimento e instalação em obras de nova construção ou de remodelação. Em relação a este serviço, algumas questões a ter em conta são:

Desenho da instalação

A instalação eléctrica é o conjunto de estruturas, condutores, ligações, acessórios e dispositivos cuja conexão permite o abastecimento de energia eléctrica num centro de consumo (vivenda, oficina, fábrica…), precedente das centrais geradoras. Esta deve cumprir com as técnicas, regulamentos e normas que garantem o seu uso de forma segura e eficiente, requerendo, para isso, o uso de materiais aprovados pelas autoridades competentes que se ajustam, em cada caso, às necessidades específicas de tensão, isolamento, capacidade, etc.


Para a instalação de electricidade de uma vivenda, é essencial definir junto com os e as profissionais quais são as necessidades da sua potência eléctrica para cada divisão. O seu uso não será igual na cozinha, onde se encontram grande parte dos electrodomésticos e no quarto de brincar dos mais pequenos, onde convém evitar que tomadas e interruptores estejam ao alcance das crianças.

Capacidade e rendimento

O serviço eléctrico considera-se eficiente quando, para além de satisfazer a procura de energia dos aparelhos que precisam deste tipo de alimentação na casa em questão, oferece o melhor rendimento em termos de funcionamento segurança e duração. Dado o aumento do número de equipamentos eléctricos utilizados no nosso dia-a-dia, é fundamental garantir o funcionamento de todos eles. Por isso, algumas das condições a considerar nas instalações elétricas são as de segurança, eficiência em termos técnicos e económicos e o fácil acesso e distribuição e o mantimento do sistema.

Localização

Na altura de desenhar ou implementar um sistema de abastecimento eléctrico, é fundamental avaliar as condições do ambiente em que será instalado, já que estas influenciam nas precauções que se tem de tomar em relação aos materiais, protecções, localizações, etc. Isto irá fazer com que haja diferenças na hora de, por exemplo, desenhar uma instalação eléctrica interior ou exterior, em ambientes de altas ou baixas temperaturas ou com maior ou menor grau de exposição à humidade, entre outros factores.

Preço médio para electricidade

1000€ - 4500
1000
4500


O custo médio de uma instalação eléctrica nova situa-se nos 2500€, podendo variar entre 1000€ e 4500€, aproximadamente. Quando se trata de uma renovação, o preço médio está nos 1500€. Alguns dos factores que afectam o custo do seu valor são:

1. Dimensão

A dimensão da vivenda é um factor que incide directamente no cálculo do orçamento, já que quanto maior a superfície ou o número de divisões seja necessário prove de rede elétrica, superior será a necessidade de recursos como materiais ou horas de trabalho profissional.

2. Tipo de intervenção

Uma nova instalação é, na generalidade, mais dispendiosa do que uma renovação da rede eléctrica existente, já que não será necessário desenhar o sistema de raíz nem instalar parte do mesmo, já que sempre há partes que se podem manter.

3. Tipo de instalação

Por outro lado, conforme seja colocada parte da instalação eléctrica, também se pode diferenciar entre instalações embutidas ou à vista. No primeiro caso, implica introduzir todos as condutas e cabos dentro de tectos, paredes ou pavimentos para que não sobresaiam das ditas superfícies. É a opção mais estética, mas também pode supor mais gastos na hora de realizar reparações ou garantir o seu mantimento. No segundo caso, parte dos cabos e fios ficam relativamente visíveis e menos integrados na estrutura da vivenda. A nível estético existem opções para dissimular esses materiais, como embelezadores ou pinturas, resultado mais económico a longo prazo porque não será necessário picas a superfície para poder aceder ao sistema.

4. Localização

Ainda que dependa da dimensão e das necessidades de iluminação, no geral, uma instalação de interior é mais cara do que uma exterior. Tal acontece porque o interior requer um maior número de tomadas, lâmpadas e interruptores, assim como existe uma maior divisão o espaço, que acaba por precisar do seu próprio sistema de acesso à rede eléctrica. Nos espaços exteriores, a principal necessidade em termos eléctricos é apenas a iluminação, ainda que também seja habitual a instalação de tomadas quando a vivenda tem um jardim, um terraço ou um pátio.

5. Materiais

Para os materiais mais básicos do sistema eléctrico, como cabos, canalização, caixas ou quadros, não há uma grande gama de preços, já que o primordial é garantir a qualidade e segurança de acordo com cada caso. No entanto, noutros elementos, como lâmpadas, interruptores, LED ou tomadas existe uma ampla gama de opções, cujas escolhas podem impactar no preço total.

6. Tecnologia

As instalações de sistemas electrónicos domóticos, ou seja, que incluam funcionalidades tecnológicas para o seu controlo e uso, terão um valor mais elevado. Para além disso, será necessário a intervenção de outros profissionais especializados nesta área, o que encarecerá os gastos totais.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Nova instalação interior
1000 € - 4500 €
Nova instalação exterior
250 € - 1550 €
Trocar instalação
300 € - 2200€
Electricista por hora
10€ /h - 45€ /h
Iluminação exterior
20 € - 1000 €
Montagem de candeeiros
35 € - 550 €
Instalar domótica
750€ e 20 000€
Instalar alarme
85€ - 750€
Instalar fechadura eléctrica
100€ - 300€
Alteração do quadro eléctrico
750 € - 3000 €
Tomadas e interruptores
3 € - 100 €

A iluminação, que é uma das partes mais visíveis do sistema eléctrico, pode ajudar a criar diferentes tipos de ambiente, para contrair a falta de luz natural durante o dia ou a dar personalidade ao espaço. Se ainda não pensou nesse detalhe, mostramos alguns dos efeitos que uma iluminação bem estruturada pode conseguir.

Se está à procura de electricistas disponíveis na sua zona, e se quer ter a oportunidade de comparar as suas avaliações e os seus preços, recomendamos que realize um pedido. Assim, poderá ser contactado pelos nossos e nossas profissionais e receber as suas propostas.
Fazer pedido

Isolamento

O isolamento de uma construção a nível de estrutura pode ser térmico ou acústico. O primeiro tipo serve para reduzir a transmissão de calor entre os espaço, e o segundo permite insonorizar o imóvel para impedir a propagação do som.

Continuidade

Para garantir um isolamento efectivo, é primordial aplicar as respectivas técnicas no solo em superfícies como as paredes, mas também em possíveis zonas onde falte ou diminua o nível de isolamento, já que podem ocorrer fugas de calor desproporcionais através das mesmas, ou a propagação do som pelos pontos sem isolar. Ou seja, parte da eficácia depende da aplicação de forma contínua dos materiais apropriados. Por exemplo, num quarto com janela exterior, recomenda-se tanto a intervenção nas paredes como a aplicação de um duplo envidraçamento na abertura.

Adequação

Em ambos os casos, para escolher o tipo de isolamento mais adequado têm de se calibrar uma série de parâmetros com base nas necessidades, objectivos, usos que se vão dar ao imóvel em questão, legislações vigentes ou orçamentos disponíveis. Uma vez definidos os requisitos, estudar-se-á o tipo de isolamento que deve ser aplicado, considerando os parâmetros associados a cada isolamento.

No caso de isolamento térmico seria a capacidade de resistência necessária a que se pode submeter (como cargas e humidade), a durabilidade, a condutividade e a facilidade de instalação.

Por outro lado, para o isolamento acústico é essencial considerar-se a lei da massa (maior massa significa maior resistência ao impacto da onda sonora e, consequentemente, a sua atenuação), a camada das paredes (parede dupla ou tripla) e o material de absorção acústica (intercalar um material absorvente, mas poroso, aumenta a eficácia do sistema isolante).

Eficiência

Ainda que os custos associados aos trabalhos de isolamento possam elevar o preço de uma construção ou remodelação, este tipo de serviços é dos mais rentáveis a curto e longo prazo. O isolamento eficaz de um imóvel evita grandes perdas energéticas por infiltrações e pontes térmicas e, consequentemente, pressupõe uma grande poupança o consumo energético requerido para a climatização do espaço.

Preço médio para isolamento €/m2

8€ - 75
8
75


O custo médio dos serviços de isolamento oscila entre 8€/m2 e 75€/m2. Alguns dos factores que afectam o cálculo do seu valor são:

1. Dimensão

O preço deste serviço deve calcular-se com base nos metros quadrados que seja preciso cobrir, pelo que o preço aumenta proporcionalmente de acordo com a dimensão do espaço.

2. Tipo de isolamento

Tal como foi referido, existem diferentes soluções conforme o que se pretende, ou proteger o espaço em termos acústicos ou térmicos, já que os materiais são os mesmos mas aplicados conforme as necessidades. Contudo, no caso de pretender um isolamento acústico de um maior nível de eficiência, o valor do serviço pode ser um pouco mais elevado, partindo dos 20€/m2.

3. Material

Considerando o preço, os materiais isolantes mais económicos são as pinturas especiais e o mai dispendioso é, sem dúvida, a cortiça. Os materiais em fibra, como a lã mineral ou a fibra de vidro ou os de tipo celular ou granulados, tais como poliuretano e poliestireno são os que se encontram no escalão intermédio.

Também se recomenda considerar as opções ecológicas disponíveis no mercado de valores competitivos e menor impacto ambiental.

4. Tipo de intervenção

Os métodos de aplicação de isolamento dividem-se principalmente em dois grupos: aqueles que implicam obra (o trasdosado, a substituição de portas ou janelas, o isolamento aplicado sob a laje ou o parquet, projecção, injecção ou insuflação, e aqueles que podem ser aplicados sem obra como a aplicação de pinturas especiais.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Preço médio isolamento térmico
29€ - 60€ /m2
Valor médio isolamento acústico
8€/m2 - 25€ /m2
Insonorizar bar
2000€ - 10000 €
Isolamento com espuma de poliuretano
30 €/m2 - 50 €/m2
Isolamento com cortiça
40 €/m2 - 75 €/m2
Isolamento com lã de rocha
15€/m2 - 32€/m2
Se quer receber o contacto de várias empresas ou profissionais que querem realizar o seu projecto de isolamento, solicite orçamentos na nossa plataforma de maneira gratuita:
Fazer pedido

Carpintaria

A carpintaria sempre se referiu ao ofício de trabalhar a madeira e outros materiais derivados para a construção de todo o tipo de objectos de utilidade, incluindo desde móveis a portas ou estruturas personalizadas. O processo de construção pode, no entanto, implicar o ajuste, controlo ou manuseamento de maquinaria e materiais para a criação, instalação, reparação ou demolição de estruturas e outro tipo de componentes desta índole. Para além disso, com o progressivo aparecimento e integração de outro tipo de materiais em trabalhos de construção, este conceito ampliou os seus significados. Alguns aspectos a conhecer sobre este serviço são:

Especialização

Dentro deste sector podem encontrar-se profissionais especializados de acordo com o tipo de material ou o tipo de trabalhos que realizam. Numa fase mais inicial, podem distinguir-se a carpintaria de madeira, a carpintaria metálica, a carpinteria de aluminio e a carpintaria de PVC. No entanto, e tendo em consideração o tipo de trabalho realizado, existem diferenças entre a carpintaria de armar, onde os elementos trabalhados se destacam pelo seu volume e não pelo seu acabamento; a carpintaria industrial de carácter pontualmente técnico, a carpintaria de construção, centrada em elementos que fazem parte da estrutura de habitações (tais como painéis, vigas laminadas em série, revestimentos, aberturas, cofragens) ou a carpintaria de oficina, em que se podem enquadrar os trabalhos de marcenaria ou a carpintaria decorativa, em que se dá uma maior importância aos acabamentos das peças produzidas.

Procedimento

Qualquer trabalho de carpintaria implica o seguimento de um procedimento básico que começa pela planificação e desenho, ou seja, pelo desenvolvimento da ideia, da sua adaptação ao contexto real (medidas, volume, orçamento…), a definição dos materiais, a delimitação de tempos de entrega e o desenho gráfico do projecto para a sua aprovação. Concluída esta etapa, procede-se à execução do trabalho mediante a aquisição dos materiais necessários e o modelado dos mesmos, o que na maioria dos casos implica desde medir e marcar as peças brutas, a cortar, escovar, perfurar, unir, lixar, envernizar ou selar. Por último, procede-se ao embalamento das peças, a sua mudança e montagem.

Critérios

Ainda que em muitas ocasiões, o critério que se impõe é o preço dos materiais, aconselha-se valorizar outros parâmetros para realizar as melhores escolhas. Conforme o caso, materiais cuja aquisição é mais económica podem não ser os mais adequados para as condições ambientais em que serão usados, gerando problemas relacionados com a eficiência energética do espaço, os trabalhos de manutenção das ditas estruturas ou a preservação das condições de segurança e conforto desejadas.

Preço médio para carpintaria

250€ - 4000
250
4000


O preço de um trabalho de carpintaria pode variar em grande medida, conforme os diferentes parâmetros que se têm em conta para calcular o seu valor. De forma orientativa, a construção de um móvel em madeira pode oscilar entre os 250€ e os 4000€, conforme o material escolhido ou a complexidade funcional do mesmo. Se o cálculo do preço se realizar por hora, os valores oscilam, no geral, entre os 10€ e os 35€, consoante a localização do serviço, o tipo de especialização requerida ou o material que terá de ser trabalhado.

É habitual que a contratação do serviço de carpintaria implique o pagamento prévio de uma percentagem do total, que não deve exceder os 50% do custo total, uma vez que implica a aquisição de materiais. Alguns dos factores que afectam o cálculo do preço total são:

1. Tipo de projecto

Quanto maior for a envergadura do projecto, maior será o orçamento necessário. Ainda que em ocasiões o elevado número de unidades pode implicar o decréscimo do preço unitário, os custos de um projecto que implique a elaboração de estruturas maiores poderá partir dos 7000€, enquanto que uma restauração de um móvel pode começar nos 200€. Devem-se avaliar as propostas de orçamento considerando sempre os aspectos incluídos, que podem ir desde a compra de material à construção, transporte e instalação dos elementos.

Alguns projectos mais comuns de carpintaria passam por revestimentos exteriores e interiores (tectos; decks de madeira ou compostos, madeira tratada ou painéis fenólicos). Também por aduelas, aros, portas interiores, exteriores e blindadas, pavimentos, escadas e divisórias de madeira. Para além disso, os serviços de carpintaria também tratam de caixilharia como janelas ou portadas. Estruturas de madeira e pérgolas são envergaduras maiores que irão pressupor maior investimento.

2. Dimensão

Em muitas ocasiões, o preço dos trabalhos de carpintaria são calculados com base nos metros quadrados, já que este factor afecta não só a aquisição dos materiais como também o grau de dificuldade do seu manuseamento, montagem, transporte ou instalação, as horas de trabalho que serão precisas dedicar, o tipo de ferramentas ou maquinaria que será necessário usar, etc. Por outro lado, os serviços pontuais podem ter estipulados um valor mínimo que garanta cobrir os custos supostos para o ou a profissional.

3. Material

Em termos gerais, os trabalhos de carpintaria em alumínio podem apresentar preços mais baixos (o que se notará numa menor qualidade), mas se se optar por uma qualidade média, o preço mais competitivo acaba por ser o PVC. A madeira normalmente é o material mais caro, especialmente se se considerar a manutenção que requer e o impacto climatológico que sofrem.

Para isso, de forma a fazer-se uma correcta avaliação do material, é necessário fazer cálculos não só a curto mas também a longo prazo: ainda que a extracção, produção e reciclagem da madeira em carpintaria é mais barata em termos energéticos, apresentam menor eficácia no isolamento do espaço, requerem uma maior manutenção e podem partir-se com maior facilidade, aumentando assim os custos a longo prazo. Neste sentido, o PVC acaba por ser o material que em termos globais apresenta um menor consumo energético e melhor relação qualidade/preço. Ainda que o alumínio se destaque pela sua durabilidade, tem um elevado custo energético em relação à sua eficiência.

Contudo, dentro destas 3 classes existem diferentes intervalos de preços, consoante aspectos como a proveniência do material, o seu acabamento ou qualidade. Por exemplo, dentro de um leque de madeiras, as macias como o pinho, o cedro e o teixo são mais económicas mas menos resistentes. Por outro lado, as madeiras duras como a nogueira, o mogno, o carvalho ou a cerejeira têm custos mais elevados mas também maior qualidade.

4. Formatos

Em alguns casos, o preço de cada elemento também se vê afectado pelo tipo de sistema pretendido (por exemplo em janelas e portas: fixo ou móvel, simples ou duplo vidro, de correr, etc.), a direcção da abertura, os milímetros totais, o número de juntas, o material usado nas juntas ou a qualidade do vidro. Os materiais complementares também devem ser tidos em conta (persianas, manípulos, por exemplo)

5. Acabamentos

Os acabamentos escolhidos para mobiliário, os paredes internas, pavimentos ou tectos também influenciam no cálculo do preço total. Entende-se por acabamentos todos aqueles aspectos que definem a aparência final de trabalho, incluindo desde a aplicação de envernizados, lacados ou motivos decorativos, até às dobradiças, puxadores, rodapés ou cornijas.

6. Tarefas

O facto do serviço de carpintaria ser de maior ou menor complexidade também implica a possibilidade de ter que incluir uma série de tarefas para garantir a correcta execução do trabalho. Estas podem ir desde o design e planeamento dos elementos ao embalamento, entrega ou montagem dos mesmos.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Carpintaria por hora
10 €/h - 35 €/h
Restauro de móveis
200 € - 1500€
Móvel à media
250 € aos 4500 €
Armário embutido
750 € e 3000 €
Porta de correr
150 € aos 1400 €
Acabamentos de rodapés de madeira
5€/ ml - 15€/ ml
Cozinha completa à medida
1000 € - 15 000€
Instalar janela
50€ - 250€ /m2
Tecto falso
100 € - 2400 €
Pavimento de madeira interior
13€ /m2 - 75€/ m2
Pérgola
80 €/m2 - 240 €/m2

Entre as categorias de serviços que intervêm na construção e remodelação de vivendas, a carpintaria é uma das que mais contribui na criação de espaços personalizados, adaptados e adequados a cada pessoa. Por esse motivo, recomenda-se investir em trabalhos de carpintaria não só em termos de eficiência como de estética e criatividade:

Se quer contactar com profissionais de carpintaria para receber orçamentos personalizados, faça um pedido na Zaask indicando as principais características do seu projecto. É grátis e sem compromisso.
Fazer pedido

Pintura

A pintura é um dos serviços profissionais mais recorrentes, tanto para novas obras como para remodelações ou redecorações, o que não é de estranhar, considerando o grande impacto que causa na percepção de qualquer tipo de espaço. Há quem creia que esta tarefa pode ser feita por qualquer um, mas a verdade é que este serviço quando feito por profissionais fica com uma qualidade completamente diferente. Para além disso, é imprescindível contar com a ajuda profissional quando existem riscos associados como o uso de andaimes, escadas ou o manuseamento de certos produtos. Alguns aspectos que se têm de ter em conta sobre a pintura profissional são:

Objetivos

Pintar qualquer espaço ou superfície pode ter diversos objetivos, que vão desde melhorar a sensação de amplitude ou de luminosidade do espaço, criar um tipo de ambiente específico, proteger um certo tipo de superficies da erosão ou melhorar o isolamento da divisão. Definir os motivos que nos levam a contratar o serviço permitirá garantir os melhores resultados possíveis e tirar o máximo partido do investimento.

Tipologias

O tipo de superfície que se quer pintar, a sua localização, uso ou textura, são variáveis essenciais a considerar na escolha do produto que será aplicado. Existem vários tipos de tintas, entre elas a mate, a acrílica, acetinada, vinílica, a plástica e a de efeitos.

As tintas mate por norma não são laváveis. Estas tintas são óptimas para paredes com defeitos e para divisões muito iluminadas, uma vez que absorvem bastante a luz.

 Já a tinta acrílica é solúvel em água e de rápida secagem. É muito resistente a alterações climatéricas, impermeável e facilmente lavável (com água e sabão). Por isso, é indicada tanto para interiores como para exteriores.

As tintas acetinadas são, normalmente, laváveis e reflectem muito a luz, sendo adequadas para divisões mais escuras. Este tipo de tintas não são indicadas para paredes com defeitos ou várias camadas anteriores.

A tinta plástica é, também, muito resistente e de rápida secagem, com grande opacidade e pouco odor. Existe no mercado com diversos acabamentos. A vinílica, pelo contrário, vai exigir uma maior manutenção, por ter menor resistência.

Outros tipo de tintas podem fazer efeitos nas paredes ou nas superfícies a serem pintadas como giz, veludo ou madrepérola. Estas são, normalmente, mais dispendiosas.

Criatividade

Cada vez mais, a pintura serve como base para criar espaços personalizados, agradáveis e adaptados às necessidades dos utilizadores e utilizadoras. As possibilidades tanto a nível pragmático como estético são cada vez mais amplas, quer seja na qualidade de texturas, acabamentos, gamas de cores, efeitos, aplicações ou funcionalidades. Assim, é cada vez mais comum a aposta em combinações de várias composições no mesmo espaço, adicionando à pintura outras técnicas como o papel de parede ou o vinil decorativo.

Preço médio para pintura €/m2

4€ - 14
4
14


O orçamento para pintar uma vivenda calcula-se com base em parâmetros como a localização ou a tipologia das superfícies, a dimensão das mesmas, ou o material necessário para realizar um trabalho. Em média, as contratações deste serviço realizadas através da nossa plataforma têm um preço médio de 7€/m2. Contudo, os valores oscilam entre os 4€/m2 e os 14€/m2, conforme as características específicas do projecto.

1. Dimensão

O número total de m2 de superfície que seja necessário cobrir com pintura incide directamente no preço, sendo até habitual que profissionais do sector orçamentem com base neste parâmetro e definam o seu preço por metro quadrado. Quanto maior a extensão da superfície, maior a quantidade de pintura e o tempo de mão de obra necessário.

2. Localização


Conforme foi referido nos pontos anteriores, recomenda-se o uso de diferentes tipos de pintura, onde se encontra a superfície a pintar, já que o desgaste que pode sofrer muda conforme se localize num espaço interior ou exterior; isto é, conforme está mais ou menos exposto, o mau tempo ou o contacto com outros agentes de desgaste, tal como mobília, pessoas, animais, etc.

3. Tipologia

As características da superfície em questão são outro factor a considerar, já que o tipo de material, a sua textura, capacidade absorção, estado ou finalidade poderá condicionar o tipo de intervenção profissional necessária e consequentemente o valor total do serviço. Por exemplo, se a parede tem uma textura rugosa, se se requer um primário previamente ou se se pretende criar uma nova textura sobre a mesma, o custo será afectado.

4. Materiais

O preço dos materiais podem representar entre 10% e 25% do orçamento total. A compra da pintura necessária pode estar ou não incluída no orçamento dado pelos e pelas profissionais, conforme seja combinado. Recomenda-se, em qualquer caso, consultar as pessoas responsáveis pela execução do serviço (podem preferir trabalhar com certas marcas por conhecer melhor o produto) ou a quantidade total que deverá adquirir. Para realizar os cálculos, convém saber que as paredes novas geralmente consomem o dobro da pintura, tal como as rugosas podem necessitar uns 30% mais de pintura que as lisas. Por outro lado, o custo total calcula-se considerando: preço por litro, a superfície total que cobre cada litro e o número de camadas que será necessário aplicar.

Outros materiais como pincéis, rolos, baldes, plásticos isolantes ou escadas podem ser facilitados pelos e pelas profissionais.

5. Mão de obra

O valor associado à mão de obra pode ser estabelecido com base nos metros quadrados de superfície a cobrir, as horas que irá pressupor o número de pessoas que serão necessárias para concluir o trabalho em tempo requerido. De maneira geral, para este tipo de serviço existe um preço mínimo estipulado que garante que os gastos gerais sejam cobertos, pelo que convém realizar a contratação para a maior quantidade trabalho possível.

6. Trabalhos prévios

Quer se trate de uma nova obra ou de uma remodelação, podem ser ou não necessários certos trabalhos prévios de preparação ou reparação: protecção de outras superfícies adjacentes que podem ficar manchadas, deslocação do mobiliário existente, remoção de papel de parede, reparação de imperfeições nas superfícies como humidades, gretas, entre outros. Na hora de pedir orçamentos, é essencial dar informação deste tipo, que possa ser útil para os e as profissionais para dar um orçamento que seja o mais adequado possível, e evitar, assim, posteriores reajustes.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Pintor/a por m2
4€ - 13€ /m2
Tinta mate
4.5 €/l - 16€/l
Tinta acrílica interior
7 €/l - 16 €/l
Tinta plástica
4 €/l - 25 €/l
Tinta de efeitos
15 €/l - 40 €/l
Lata de tinta de madeira
8 € - 80 €
Pintura exterior acrílica
4 €/l - 15 €/l
Tinta primária
2.5 €/l - 13 €/l
Diluentes
2.5 € - 15 €
Rolos
0.80 € - 20 €
Pincéis
1 € - 10 €
Estucar a parede
9 €/m2 - 16 €/m2
Colocar papel de parede
25€ - 200€
Limpeza posterior
6€/h - 20€ /h
Pintura de exterior de prédios
600€ - 12 000€
Pintura de móveis
200 € - 700 €
Lacagem de móveis
70 € - 450 €
Lacagem de portas/portões
40 € - 230 €

Ainda que o branco nunca falhe, não se conforme em ver a pintura como algo simplesmente convencional. Para além de ter funcionalidades como o isolamento ou servir de antioxidante, anti-mofo ou anti-manchas, anti.deslizante ou anti-humidade, a pintura tem sobretudo uma finalidade estética que permite criar ambientes únicos e personalizados, adaptados a cada objectivo ou preferência. Inspire-se!

Para procurar profissionais disponíveis na sua zona que realizem o seu projecto de pintura, pode fazer um pedido e receber até 5 propostas entre as quais comparar. O questionário irá tomar-lhe uns segundos e irá permitir obter orçamentos personalizados grátis e sem compromisso:
Fazer pedido
CAPÍTULO 30

A manutenção

Em qualquer espaço, novo ou remodelado, quer seja usado com frequência para viver, trabalhar, descansar ou se divertir, necessita de ser mantido em óptimas condições. O desgaste não só é resultado do seu nível de utilização como também de factores externos, a falta de cuidado ou do simples passar do tempo. Por isso, quase sempre é necessário garantir o seu bom estado em diferentes sentidos, como a higiene ou as pequenas reparações que surjam.

Há uma série de perfis profissionais com os quais é imprescindível contar para prolongar a vida útil de qualquer edificação e assegurar, em última instância, o bem-estar das pessoas que fazem também o seu uso.

Limpeza

Tanto uma nova obra como qualquer tipo de remodelação, quer seja integral ou parcial, pressupõe um grande esforço em termos logísticos por parte de quem contatar. Com o foco em obter um bom trabalho, é habitual esquecer que o verdadeiro resultado final de um projecto de construção só se pode desfrutar após se realizar o último passo: a limpeza do espaço.

Motivos

Pode não se importar de tratar da limpeza habitualmente, o certo é que uma limpeza pós-obra implica um nível de trabalho muito maior, especialmente se os trabalhos de construção ou remodelação causarem uma grande intervenção na vivenda. A grande concentração de pós e poeiras e restos de outros materiais cria a necessidade de chegar a todo o tipo de superfícies e cantos, tais como paredes, tectos e móveis, evitando que a sujidade se espalhe e assegurando que é completamente eliminada. Para este trabalho convém contar com alguma maquinaria especializada e com ajuda profissional para garantir resultados impecáveis.

Especialização

As limpezas pós-obra também podem requerer certos conhecimentos sobre o tratamento de materiais e superfícies específicas (cerâmicas, madeiras, parqués, azulejos…), ou sobre os métodos mais eficazes e rápidos para a eliminação de restos de pinturas, cimento, silicones ou adesivos. Conforme as características de edificação ou a sua finalidade, também pode ser uma boa altura para realizar desinfestações ou tratamentos preventivos para pragas.

Exterior

Quando se pensa numa limpeza de habitação, imaginamos apenas a limpeza dentro da casa. Contudo, é bastante comum descurar da parte exterior da construção. Conforme cada caso, as paredes da fachada, os vidros, portões, telhados, acabamentos e outros elementos podem acumular camadas de pó e sujidade que também devem ser eliminados, especialmente para evitar que passem para o interior.

Preço médio para limpeza €/h

10€ - 25
10
25


Na hora de orçamentar uma limpeza pós-obra, é muito importante especificar as necessidade de cada casa, já que o nível de trabalho pode ser menor ou maior conforme o tipo de intervenção que foi realizada. Entre os requerimentos também deve constar o tipo de superfícies que se pretende incluir na limpeza, já que pode precisar de alguma atenção especial, como o caso de haver carpetes, pavimentos de madeira, escadas, cortinados ou grandes superfícies de vidro. O custo para contratar uma limpeza pós obra pode variar entre os 10€/h e os 25€/h.

1. Dimensão

A dimensão total do espaço que se pretende limpar é o principal parâmetro para o preço estabelecido. O número de m2 incide directamente no preço do projecto e serve para que profissionais e empresas calculem a quantidade de trabalho que implicará o serviço.

2. Tempo

Outro factor importante que também é usado para orçamentar os serviços de limpeza é o tempo, sendo recorrente que o preço seja dado por hora. Este modelo de preço inclui, igualmente, todas as tarefas de limpeza que sejam necessárias, mas o preço total só é fechado quando o trabalho está feito e se sabia em quanto tempo demorou a limpeza.

3. Tarefas

Conforme o estado em que se encontre a vivenda e as características físicas da mesma, será necessário garantir uma série de tarefas que vão para além da limpeza de pavimentos ou mobiliários. Entre os requerimentos que convém indicar encontra-se a limpeza de: persianas, cristais, tectos e paredes, zonas exteriores ou gradeamentos.

4. Serviços especiais

Associada à limpeza pós-obra está o serviço de retirada de resíduos ou outro tipo de materiais que requeiram um tratamento especial. Convém indicar a empresa ou o profissional se será necessário tratar deste aspecto, já que, dependendo do tipo ou da quantidade do entulho ou pode ser necessário com um transporte especial, o que vai impactar tanto no preço como nas ferramentas necessárias para realizar o trabalho.

5. Materiais

Para a realização da limpeza, os materiais podem ser facilitados pelos e pelas profissionais ou pode optar por os adquirir. Normalmente, este parâmetro incide no orçamento se se requer o uso de produtos ou ferramentas específicas que impliquem um investimento por parte de quem presta o serviço.

6. Urgência

Nalguns casos, pedir um serviço com urgência ou em horários especiais como feriados, fins de semana ou em horários nocturnos, pode influenciar o preço e aumentar o valor total.

Encontre na tabela abaixo os vários tipos de serviço e um intervalo indicativo de preços
Limpeza pós-obra
10 €/h - 25 €/h
Limpeza de fachada
10€ - 65€ /h
Limpeza de vidros
10€ - 65€ /h
Limpeza de jardim
7€ - 30€ /h
Limpeza de telhado
3€ - 6€ /m2
Limpeza de sótão
50€ - 160€
Limpeza de chaminés
40€ - 230€
Limpeza de carpetes
5€ - 13€ /m2
Limpeza de piscinas
50€ - 150€
Limpeza de toldo
10 €/h - 25 €/h
Afagar e envernizar chão
13€ - 30€ /m2
Desinfestação de pragas
45€ - 900€
Pode pedir gratuitamente orçamentos personalizados para realizar um serviço de limpeza. Basta preencher um breve questionário sobre as características do trabalho e pode receber até 5 orçamentos entres os quais comparar:
Fazer pedido
Para lhe proporcionar a melhor e mais rápida experiência possível, este site guarda cookiesAceitar