Quanto custa um serviço de Osteopatia na Zaask 30€ - 70€ / sessão

Preços com base na média nacional

A osteopatia é um tipo de medicina manual preventiva e curativa, com o objectivo de restabelecer o bem estar de uma pessoa. As doenças osteoarticulares e as contraturas musculares associadas ( torcicolos, tendinites e entorses) são algumas das patologias que podem ser tratadas com este serviço. 

O custo médio de uma consulta de osteopatia é de 45€. Este valor pode oscilar entre os 30€ e os 70€. O preço final por sessão vai depender de vários factores.

O que é a osteopatia e para que serve? 

A osteopatia é uma ciência terapêutica que tem como objetivo restaurar o bom funcionamento do organismo, tratando o doente e não a doença. Esta prática é aplicável a um vasto leque de doenças, tais como ciáticas, lombalgias, cervicalgias, escolioses, hérnias discais e torcicolos, síndrome do túnel cárpico ou ainda tensões e contraturas musculares. 

Apesar de estar frequentemente associada a doenças musculares e relacionadas com a estrutura ósseas (a palavra vem em parte do grego “osteon” que significa osso), tem também aplicabilidade no que respeita a enxaquecas, problemas digestivos, insónias, entre outros. 

Esta terapêutica surgiu no final do século XIX quando um médico norte-americano, Andrew Taylor Still, identificou a relação entre o sistema músculo-esquelético e o resto do corpo. Reconheceu também, na sua abordagem holística e assente na anatomia, que o corpo humano possui uma capacidade de auto-regeneração impulsionada pela eliminação dos fatores prejudiciais ao seu bom funcionamento. 

 Desde então o reconhecimento da osteopatia foi reforçado, sendo inclusive uma terapêutica recomendada pela Organização Mundial de Saúde.

A importante marca distintiva da osteopatia é que esta prática não se resume a tratar o sintoma, procurando antes descobrir qual a sua origem com o intuito de eliminar o problema. A osteopatia estuda o organismo como um todo, relacionado e indissociável entre partes, e procura reduzir limitações de mobilidade ao nível dos músculos, esqueleto, articulações, órgãos internos e parte sacrocraniana ( do crânio ao fim da coluna). 

O tratamento osteopático vai assim procurar incutir no paciente uma melhor postura e promover o bem-estar e saúde global do seus organismo. É uma terapêutica não só curativa mas também preventiva, capaz de evitar que certas perturbações assintomáticas se tornem dolorosas ou crónicas. 

Através de técnicas manuais e acima de tudo naturais (sem recurso a cirurgia ou outras prática invasivas) o ou a osteopata irá procurar restituir o equilíbrio ao organismo. 

Que doenças pode tratar o ou a osteopata? 

São inúmeras as patologias tratáveis através das terapêuticas da osteopatia, entre elas: 

  • Doenças Ciáticas, dorsalgias, cervicalgias, escolioses, hérnias discais e torcicolos; 
  •  Entorses, tendinites, epicondilites, síndrome do túnel cárpico, dores nos ombros, problemas na articulação temporo-mandibular (ATM) ou tensões e contraturas musculares; 
  • Problemas decorrentes de quedas, acidentes, fraturas ou cirurgias; 
  • Enxaquecas, dores de cabeça, problemas digestivos, insónias, depressão, stress, vertigens, sinusite, problemas respiratórios; 

Quem pode ou deve recorrer à osteopatia? 

A grande maioria da população poderia retirar benefícios das terapêuticas da osteopatia, em particular aqueles que sofrem de dores osteomusculares

Um ou uma profissional de osteopatia poderão aliviar problemas de coluna vertebral, os quais afligem grande parte da população portuguesa. De acordo com a Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral estima-se que 8 em cada 10 pessoas venham a sofrer de lombalgia (dor intensa prolongada na região lombar) ao longo da sua vida. 

Uma das manifestações mais comuns é a escoliose, uma deformação na coluna que provoca diversos problemas estruturais tais como dores nas costas, articulares, musculares, fadiga, entre muitos outros. A osteopatia é eficaz no alinhamento da coluna vertebral, suprimindo os sintomas desagradáveis e ajudando até a reduzir curvaturas. 

A osteopatia é recomendável do recém-nascido ao idoso, desde grávidas até atletas, libertando tensões acumuladas no corpo. 

Esta terapêutica deverá ser aplicada com restrições apenas no caso de certas patologias como cancro dos ossos, artrite reumatóide aguda ou osteoporose avançada. 

A terapêutica é segura para uma criança? 

Sim. A osteopatia engloba o ramo da Osteopatia Pediátrica, uma área de intervenção que minimiza o risco de maus posicionamentos no parto e pressões prejudiciais para o bebé. 

Andrew Taylor Still, “pai” da osteopatia, defendia que “nunca recuperamos completamente de termos nascido”. Considera-se, em diversos ramos terapêuticos, que eventos traumáticos antes do nascimento, no parto e no início da vida podem levar a mazelas permanentes. 

Estando o bebé sujeito a diversas forças de contração: intrauterinas, abdominais, do próprio corpo e de certos instrumentos durante o parto, e considerando a elevada maleabilidade dos crânios dos recém-nascidos, é possível que as alterações cranianas sofridas durante o parto possam ter consequências caso não exista uma normalização ao final de alguns dias. 

Caso o crânio sofra disfunções, e tendo em conta a estreita relação entre o mesmo e a coluna vertebral, poderá ser necessário tratamento para a sua normalização. O tratamento osteopático em bebés é feito por profissionais especializados que aplicam técnicas manuais e contactos muito suaves. Não é de todo doloroso e poderá ter um impacto vital no desenvolvimento saudável da criança. 

Quando procurar uma ou um osteopata pediátrico: 

  • Check up pós-parto; 
  • Depois de partos que recorram a ventosas, fórceps ou cesarianas; 
  • Quando existe alteração na forma cranial do bebé - plagiocefalia; 
  • Mediante a identificação de torcicolo congénito; 
  • Se forem detetados transtornos digestivos como cólicas,distúrbios de sucção ou deglutição, refluxo, hérnia de hiato, gases, diarreia, obstipação; 
  • Quando detetadas bronquiolites, otites de repetição ou bloqueio do canal lacrimal; 
  • Se persistir um choro intenso frequente, transtornos de sono, agitação ou nervosismo; 

Reconhecimento da osteopatia em Portugal 

Apesar de existir algum ceticismo, cada vez mais há quem recorra às terapias alternativas. No que toca a dores de costas e à sua supressão, verificou-se que a osteopatia é particularmente eficaz. 

Esta terapêutica tem vindo a ganhar reconhecimento legal em países como Alemanha, França ou EUA. Em Portugal as terapias alternativas foram reconhecidas como Terapêuticas Não Convencionais em 2003, embora não estejam ainda previstas no Serviços Nacional de Saúde. 

O que são terapêuticas não convencionais? 

As Terapêuticas Não Convencionais (TNC) partem de uma base filosófica distinta da medicina tradicional e aplicam métodos de diagnóstico e tratamento próprios. Em Portugal, são reconhecidas como TNC a acupuntura, homeopatia, osteopatia, medicina tradicional chinesa, naturopatia, fitoterapia e quiropraxia. Atualmente estas áreas têm já formação reconhecida ao nível do ensino superior. 

Estas práticas encontram, de forma frequente, coexistência harmónica entre si e a medicina ocidental. 

Terapêuticas não convencionais

Acupuntura: A Acupuntura é um ramo da medicina tradicional chinesa que realiza o diagnóstico e tratamento de doenças através da introdução de pequenas agulhas em diversos locais anatómicos precisos, que correspondem aos diversos órgãos do corpo. A técnica é indolor e promove o bem-estar generalizado e redução de dores. 

Homeopatia: Um ramo com mais de 200 anos de existência que se vê cada vez mais integrado na medicina tradicional. Esta terapêutica, através de doses reduzidas e não tóxicas de medicação, procura estimular e reforçar as defesas do organismo. 

Osteopatia: A Osteopatia baseia-se na anatomia e fisiologia do corpo humano. Preocupa-se com estudar o paciente no seu todo e não em tratar sintomas isolados. É especialmente eficaz no que toca ao alívio da dor de costas e musculares. 

Medicina Tradicional Chinesa: Conjunto de práticas de medicina milenares. Esta terapêutica tem por base a relação entre Ying e Yang, a Teoria dos Cinco Elementos e o sistema de circulação de energia pelos meridianos do corpo humano. Abrange a acupuntura, fitoterapia, Tui Na e dietética específica.  

Naturopatia: Prática que recorre a técnicas não invasivas. O ou a naturopata indica as melhores formas de prevenir ou tratar uma doença de forma natural e reconhece que a saúde e ecologia são indissociáveis. A naturopatia irá recorrer à homeopatia e a outros métodos naturais que considere apropriados. 

Fitoterapia: Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e das suas aplicações a diversas doenças. Surge a partir da medicina chinesa e não pretende substituir a medicina convencional, antes complementá-la.  

Quiropraxia: Quiropraxia ou Quiroprática é uma forma de medicina alternativa centrada na prevenção e tratamento de condições do sistema músculo-esquelético, com particular ênfase na coluna. 

Terapêutica não convencional

Acupuntura 

Homeopatia

Osteopatia

Medicina Tradicional Chinesa

Naturopatia

Fitoterapia

Quiropraxia

Preço médio

40€/sessão 45€/sessão 45€/sessão 40€/sessão

75€/ primeira consulta

60€/ seguintes

40€/sessão

70€/ primeira consulta

40€/ seguintes

Osteopatia: preços e fatores que os fazem variar 

O custo de uma consulta de osteopatia pode oscilar entre os 35 e os 55€, sofrendo alterações de acordo com diversas variáveis. Entre os fatores que influenciam o preçário podem considerar-se: 

  • A localização do consultório - centros localizados em grandes focos urbanos poderão ter custos mais elevados; 
  • Combinação de terapias distintas - por vezes é possível combinar a osteopatia com fisioterapia, acupuntura, reflexologia podal, naturopatia, yoga ou homeopatia. Esta combinação entre terapias poderá levar a uma poupança no valor total; 
  • A possibilidade de visitas ao domicílio - certos profissionais trabalham ao domicílio e outros têm consultório próprio. O preço das visitas domiciliárias, importantes para pessoas com mobilidade reduzida, poderão encarecer o serviço devido aos custos adicionais com a deslocação; 
  • A duração e número de sessões - o preço de uma primeira sessão é tendencialmente mais elevado e comprar packs de múltiplas sessões poderá reduzir o custo. As consultas duram, em média, 60 minutos. Certos profissionais oferecem tratamentos mais curtos, o que terá impacto no preço; 
  • As credenciais e formação do profissional - Certas especialidades como a osteopatia pediátrica ou musical apresentarão preçários distintos. Se o ou a osteopata tiverem obtido reconhecimento na área, é provável também que o preço por sessão seja acima da média. 

Conselhos aquando da contratação de um osteopata 

É importante recorrer a profissionais da osteopatia com qualificações reconhecidas. Nomeadamente, procurar um ou uma osteopata com uma licenciatura em Medicina Osteopática e que tenha as habilitações necessárias para levar a cabo diagnósticos diferenciais - avaliando, tratando e acompanhando devidamente o paciente. 

A Zaask tem disponíveis diversas referências e avaliações de clientes anteriores que podem auxiliar na escolha entre múltiplos profissionais registados no portal e que operam em diversos pontos do país. 

Procura Osteopatia para o seu próximo projecto?
Agora que tem uma ideia dos preços vamos encontar o profissional certo para si!

Como sabemos estes preços?
Todos os anos, milhares de pessoas procuram profissionais na Zaask para os seus projectos. Monitorizamos os orçamentos dos profissionais e partilhamos essa informação consigo.
25k Projectos mensais
+400k Orçamentos dados
15k Profissionais que orçamentaram
Para lhe proporcionar a melhor e mais rápida experiência possível, este site guarda cookiesAceitar