Quando decidimos remodelar um apartamento ou moradia, não devemos considerar que o único objectivo deste investimento seja renovar o estado dos materiais ou da estrutura. Pelo contrário, esta pode ser uma oportunidade única para repensar na utilidade do espaço, garantir que se adapta às necessidades e objectivos de quem os vai usar e tirar o máximo partido possível das suas características naturais.

Ao fazer uma remodelação que vá beneficiar a sua casa em termos estruturais estará a valorizar a sua habitação e a investir para que haja benefícios a longo prazo, não apenas monetários mas também a nível de qualidade de vida.

Para alguns pode parecer um pouco esotérico, mas existem uma série de regras estruturais e estéticas que nos ajudam a sentir em sintonia com o espaço e que melhoram a energia de cada divisão, considerando não só o uso e finalidades das mesmas, bem como a personalidade e gostos de quem a vá usar.

Sobre o feng-shui

O feng-shui é um sistema filosófico chinês milenar, com origem no taoísmo, que se baseia na ocupação harmoniosa e consciente do espaço para propiciar a influência positiva deste para quem o ocupa. Para isso, tem de se ter em conta a localização, disposição e forma do espaço, considerando cuidadosamente a orientação dos pontos cardeais, já que cada um destes emana uma energia diferente para cada espaço da casa.

Algumas escolas de feng-shui estudam a estrutura de todo o tipo de edifícios, como escritórios, espaços públicos e vivendas e, de forma mais específica, os espaços que utilizamos, tais como casas de banho, cozinhas, quartos e sala. Desta forma, o feng-shui é como um guia a ter em conta nos processos de remodelação de apartamento, pois pode ajudar-nos a tomar decisões que dizem respeito, por exemplo, à localização das divisões, à pintura ou à decoração das mesmas.

feng-shui

Entre os edifícios mais famosos cuja construção se baseia nesta filosofia encontram-se o Zhong Hedian dentro do Gugong (ou “a cidade proibida”) em Pequim, o Banco de Hong Kong e o Banco de Xangai.

Estruturas amplas

Em relação à própria estrutura e localização, devem-se criar espaços abertos, amplos e simétricos que comuniquem facilmente entre si e permitam uma movimentação fluída por toda a casa.

Na hora de construir as portas, janelas e armários (e no caso destes terem portas) de cada divisão, tenha em conta dois aspectos fundamentais: por um lado, a orientação solar, para garantir a maior luminosidade natural possível; por outro, onde vai colocar a mobília principal de cada divisão (por exemplo, recomenda-se que que a cama se apoie numa parede e que a janela esteja numa lateral).

Feng-shui requer consciencialização das cores

As cores, como ocorre na cromoterapia, também têm um papel muito importante na corrente do feng-shui, já que estas podem ajudar a despertar e proporcionar uma série de sentimentos e sensações. Assim, o tom de cada divisão da casa deve ser escolhido conscientemente e não tendo em conta unicamente os gostos pessoais.

Por exemplo, o branco oferece pureza e limpeza aos espaços. No entanto, usado em excesso pode transmitir falta de personalidade. O azul transmite harmonia e tranquilidade, contudo, abusar desta cor pode dar a sensação de solidão. O verde, por ser associado diretamente à natureza, irradia frescura, vitalidade e satisfação e, por sua vez, o amarelo estimula a criatividade e a produtividade.

Ao falar de cores, não devemos apenas referir-nos à aplicação destas nas paredes mas também ao seu uso em armários e aos outros objectos decorativos. Encontrar um equilíbrio entre as cores é essencial na filosofia do feng-shui para garantir uma boa energia em qualquer um dos espaços.

Por exemplo, o negro é uma cor que transmite elegância, modernidade e sensualidade. Porém, utilizá-lo em elementos como a roupa de cama pode fazer com que o quarto tenha um ambiente negativo. Pelo contrário, pode ser uma mais-valia usá-lo em elementos decorativos ou aplicado nalguma parede ou móvel.

Móveis minimalistas

No que se refere ao mobiliário, dois dos pontos básicos para o feng-shui são a ordem e as formas orgânicas. No caso da ordem, esta tendência defende o minimalismo, ou seja, a simples e o funcional.

feng-shui

Para ter uma casa feng-shui, é primordial que se desfaça de todos aqueles móveis e elementos que estão a mais, assim como manter bem ordenados e limpos os espaços e acessórios essenciais. À vista devem estar poucos elementos, pelo que se recomenda optar por armários e móveis que se integram bem na própria estrutura da casa.

Em relação às formas orgânicas, segundo este técnica deve-se optar por elementos redondos e de linhas suaves em vez de formas mais pontiagudas, com esquinas ou cantos.

Decoração que transmite energia positiva

Por último, existem uma série de objectos decorativos que o feng-shui recomenda usar para criar um fluxo de energia positivo e agradável dentro das nossas casas. Os espelhos, por exemplo, são um elemento básico nesta corrente decorativa, já que existem certas normas para o uso do mesmo.

Por exemplo, no quarto, não se deve colocar espelhos ao lado da cama, pois pode causar insónias. Na casa de banho, o espelho deve estar em frente ao lavatório. Outra recomendação também é colocar este objecto perto da mesa de jantar, para criar uma sensação de abundância.

Boa iluminação

A iluminação é primordial à volta de toda a casa, mas com especial importância na zona da entrada e nas divisões mais funcionais ou de convivência como a cozinha ou a sala de estar. Também é de evitar elementos decorativos como relógios estragados ou imagens tristes e violentas, que podem contagiar a negatividade do ambiente.  

Em conclusão, seja para realizar remodelações na cidade ou para decorar um apartamento de férias, esta filosofia adapta-se às necessidades, gostos e estilos de cada pessoa, já que não se trata de um estilo mas de uma forma de ver as coisas. Deixe-se influenciar pelo feng-shui quando renovar os seu espaço e faça um investimento que irá garantir que a sua casa respire energia positiva.